Resenha | Social Killers.com - RJ Parker e JJ Slate


Você realmente conhece todas aquelas pessoas listadas como seus amigos? Se o velho ditado quem vê cara não vê coração for mesmo verdade, o que se pode dizer sobre todos aqueles avatares sorridentes que você adicionou? A realidade, ainda que virtual, pode ser bem mais assustadora que a ficção. Enquanto, um vampiro precisaria ser convidado para entrar, um psicopata on-line não vai perder a oportunidade de entrar quando encontra janelas abertas. Cuidado com o que você curte. Social Killers - Amigos Virtuais, Assassinos Reais é um livro assustadoramente verdadeiro. Seus Autores, RJ Parker e JJ Slate, reúnem alguns dos casos mais angustiantes de criminosos que usaram as redes sociais para se aproximar de suas vitimas. Stalkers, predadores sexuais, assassinos, canibais, torturadores. A lista, infelizmente, não é pequena e novas solicitações de amizades continuam chegando a cada dia.


Editora: Dark Side
Edição: 
Ano: 2015
Gênero: Relatos verídicos de casos policiais; suspense.
Páginas: 272

O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.

Eu simplesmente amo a coleção Crime Scene da Dark Side, que reúne livros sobre assassinos e seriais killers. O último lançamento dessa coleção é Social Killers, que traz uma temática um pouco diferente dos demais livros da coleção. Com 36 casos, divididos em capítulos, o livro traz relatos sobre crimes que de alguma forma foram influenciados ou apenas seriam possíveis por meio da internet.

Vários desses casos são perturbadores, os que mais me chocaram foram o de Lisa M. Montgomery, Richard Beasley e Derek Medina. 

Lisa M. Montgomery não teve uma infância muito boa, sofreu abuso sexual por parte de seu padrasto, de quem a mãe se separou quando ela tinha 16 anos. Quando tinha 18, se casou com seu meio irmão, com quem veio a se divorciar mais tarde. Segundo ele, Lisa amava a atenção que recebia quando grávida. Ela teve quatro filhos com ele, até que foi obrigada a fazer uma cauterização que a tornou estéril. Casou-se com outro homem, que também possuía filhos, e ao longo dos anos fingiu várias vezes estar grávida. Meses antes de conceber o filho, dava a desculpa de ter perdido a criança. Em um fórum na internet conheceu uma mulher que vendia cães, e estava grávida. Combinou de comprar um cachorro e foi até a casa da mulher, chegando lá, cortou a barriga da moça e levou embora seu filho, que surpreendentemente sobreviveu.

Essa é apenas um dos casos relatados no livro, que se aprofunda nos personagens dessas histórias verídicas de uma forma muito legal, fazendo parecer que estamos cara-a-cara com os criminosos. Como ele traz casos que se utilizam da internet de alguma forma, as histórias são muito atuais, e fazem pensar duas vezes antes de pensar em conhecer gente nova em redes sociais e fóruns. Além de trazer esses casos, nas páginas finais, RJ Parker e JJ Slate trazem alerta que conscientizam o leitor a usar a web de forma mais segura, e depois de ler esse livro,
 você vai querer fazer isso.


O mais chocante na obra é perceber o quanto as pessoas confiam em desconhecidos. O fenômeno conhecido como catfish, quando uma pessoa finge ser quem não é (e também o nome de uma série sobre o assunto, onde um homem que foi enganado na internet ajuda pessoas a descobrirem se realmente estão falando com a pessoa que acham que estão falando), pode ser evitado, e apesar de toda a informação disponível, até mesmo na internet, a maioria das pessoas confia cegamente em desconhecidos.




No início de todos os capítulos há um QR Code, que quando escaneado leva a uma página da internet, mais precisamente ao site da editora, e mostra algumas imagens do criminoso. Eu achei isso genial, ainda mais levando em conta a temática do livro, além de mostrar o quão reais são esses relatos. Você fica literalmente de cara com o assassino.

Apesar de serem muito boas, algumas coisas me incomodaram. É impossível falar de livros da Dark Side sem elogiar a edição, e esse exemplar não fica para traz, ele é hardcover (capa dura), com efeito metalizado e uma diagramação maravilhosa, mas ao longo do livro existem vários erros de tradução e revisão, e alguns são bem grotescos, e quando levamos em consideração que este deveria ser um livro de "luxo", esses erros não deveriam existir. Claro que o livro não fica ilegível, mas incomoda um pouco a leitura, e provavelmente serão corrigidos na 2ª edição.



Outro aspecto que não me agradou foi o início dos capítulos, a maioria começa com uma introdução sobre o que a rede social/site/fórum é e os perigos dela. O que é interessante nos casos iniciais acaba ficando repetitivo ao longo do livro, o problema é que fica parecendo que os casos foram escritos pensando-se em publica-los separadamente e não como o conjunto da obra. O Craigslist, por exemplo, é citado em vários casos, e em quase todos se explica o que é esse site e alguma coisa perigosa nele, e as informações acabam ficando redundantes. 

A escrita dos autores, por outro lado, é muito boa e flui de uma maneira incrível. Literalmente não dá pra largar até descobrir o que acontece. Não parece que foi escrito por duas pessoas diferentes, deixando a obra bem homogênea. Falando nos escritores, eles têm muita experiência para escrever sobre crimes, e quando li, no finalzinho do livro, quem eles eram, passei a dar mais credibilidade ainda.

RJ Parker já escreveu vários livros sobre crimes e é especialista em Serial Killers. O canadense se tornou escritos após ser diagnosticado com espondilite anquilosante, uma doença crônica sem cura que acomete as vértebras, principalmente da coluna. Passei a admirar ainda mais o autor quando li que ele já doou mais de dois mil livros para tropas e militares feridos.

JJ Slate também é autora de vários livros sobre crimes e é descrita como fascinada por histórias policiais, ainda mais quando envolvem desaparecimentos e casos sem solução. Ela tem um blog (jenniferjslate.com).

Também é interessante como pode ser traçada uma ligação sobre como os crimes, e principalmente os criminosos, evoluem. Antes mesmo do surgimento da internet, como é explicado no início do livro e em outros da coleção Crime Scene, esses criminosos agiam marcando encontros com pessoas através dos classificados dos jornais. Antes disso provavelmente existia outro modo, esses criminosos sempre tentaram e sempre tentarão encontrar uma maneira de se manter no anonimato.

Fica a dica então de mais um livro da Dark Side Books, espero mais livros Crime Scene. E você, já leu? O que achou? Conte pra nós nos comentários. 

Essa resenha faz parte do projeto Óptica Literária - Um encontro de visões


Siga o Book Bus:






2 comentários:

  1. Ainda não li e nem tinha visto uma resenha que me desse vontade de ler, mas Math a sua resenha me deixou instigada a ler.
    Quem sabe em breve não adquira rsrs
    Muito boa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena Sue, sério, simplesmente devorei esse livro

      Excluir